• Dra Flavia Figueredo

Não use protetor solar antes de ler isso!

Atualizado: 1 de Mai de 2019


A exposição sensível ao sol é um componente de vital importância para a saúde, já que o nosso corpo produz vitamina D em resposta à luz UVB.


Um sem número de benefícios a vitamina D pode causar na saúde, dentre os quais pode ajudar:


  1. a aliviar o desconforto nas articulações;

  2. melhorar ossos frágeis e quebradiços;

  3. aumentar a densidade óssea;

  4. combater resfriados e gripes;

  5. melhorar a memória;

  6. rejuvenescer a pele envelhecida;

  7. reduzir pés de galinha, linhas finas, rugas e manchas senis;

  8. melhorar a resposta imunológica;

  9. aumentar a perda de peso;

  10. melhorar a proteção cardíaca;

  11. reduzir o risco de TODOS os cânceres em incríveis 67%, em especial melanoma maligno, câncer de mama e leucemia;

  12. inibir a angiogênese, o crescimento de novos vasos sanguíneos que permitem a disseminação de células cancerígenas através do corpo;

  13. aumentar a expectativa de vida;

  14. reduzir risco de depressão e demência;

  15. reduzir condições inflamatórias, como lúpus, artrite reumatoide e doença de Crohn.


Por isso que eu digo que a luz solar é fundamental para a saúde humana! Entretanto, o sol também emite raios UVA, que são os vilões, responsáveis pelo câncer de pele.


Uma exposição ao sol prolongada sem proteção causa queimaduras e através dessas feridas a pela fica mais exposta ainda aos raios UVA, podendo desenvolver o câncer e/ou o envelhecimento precoce da pele. Por isso o protetor solar ganhou tanta popularidade e indicação.


Mas o protetor solar protege de fato? Há controvérsias.


Primeiramente é importante destacar que de cada 10 protetores vendidos no mundo, 2 são produzidos no Brasil e em 2015, o consumo global de protetores somou US$ 8,2 bilhões, dos quais US$ 1,6 bilhão veio somente do Brasil (dados da ABIHPEC), ou seja, HÁ UMA RICA INDÚSTRIA SE BENEFICIANDO DA VENDA DOS PROTETORES SOLARES.


Ocorre que, apesar do aumento do uso de protetor solar e campanhas massivas de conscientização acerca do câncer de pele, no Brasil são mais de 130 mil novos casos por ano (dados do Instituto Nacional do Câncer - INCA).


O que muitos não sabem é que na maioria dos protetores disponíveis no mercado o FPS só protege (em regra) contra os raios UVB (que ajudam a produzir Vit. D) e não contra os UVA (cancerígenos).


Além disso, em cerca de 70% dos protetores solares encontra-se uma substância chamada oxybenzeno, que perturba o sistema endócrino e é conhecida por dizimar recifes de corais e prejudicar a vida marinha.


De acordo com um recente estudo dinamarquês, 13 de 29 substâncias químicas presentes nos protetores solares permitidos nos EUA e União Europeia causam ESTERELIDADE MASCULINA, afetando a sinalização de cálcio no esperma através de um efeito parcialmente semelhante à progesterona.


Muitos contêm vit. A ou derivados (retinol e palmitato de retinila), substâncias associadas ao aumento do risco de câncer de pele por acelerarem a velocidade com que as células malignas se desenvolvem e se propagam.


Também há ingredientes presentes nos protetores que apresentaram efeitos neurotóxicos: metoxicinamato de octila, Benzofenona-3 (oxibenzona), Benzofenona-4, 4-metilbenzilideno cânfora, 3-benzilideno cânfora e Octocrileno.


Logo, não parece que os protetores são tão amigáveis como parece né?


Então, o que fazer para se proteger dos males do sol e não deixar de se beneficiar da Vit. D?


Você viu que o protetor solar na pele bloqueia a capacidade do seu corpo de produzir vitamina D3, uma das vitaminas mais importantes na sua luta contra envelhecimento e câncer de pele.


Mas como aproveitar então aquele tempo gostoso e ensolarado com a família? É possível continuar desfrutando de tal laser? Claro que sim, mas é necessário adotar alguns cuidados.



Recomendo passar algum tempo no sol regularmente — idealmente todos os dias. Como já dito, a luz do sol oferece benefícios substanciais para a saúde, desde que você tome algumas precauções para se proteger da superexposição:


1. Dê ao seu corpo a chance de produzir vitamina D antes de aplicar protetor solar. Exponha grandes quantidades de pele (pelo menos 40% do seu corpo) à luz solar por curtos períodos diários. A otimização dos níveis de vitamina D pode reduzir o risco de muitos cânceres internos e até diminuir o risco de melanoma.


2. Não exagere no tempo de exposição ao sol.! 20 minutos sem proteção é o ideal para os benefícios da Vit. D. Proteja seu rosto do sol usando um chapéu ou um protetor solar seguro (ajudarei a escolher mais abaixo) pois a pele facial é fina e mais propensa aos danos causados pelo sol, como é o caso das rugas prematuras.


3. Ao sair do sol não tome banho direto, pois a vit. D fica superficial na pele. Espere um tempo até ela ser absorvida.


4. Caso deseje/precise se expor mais ao sol, por um período maior, se proteja com roupas que bloqueie os raios UVB e UVA (esses são os cancerígenos). Use também boné/chapéu, pois a barreira física da roupa ainda é a melhor forma para prevenir queimaduras e danos solares.


Também em longa exposição ao sol, para as áreas do corpo que ficarão descobertas é necessário o uso do protetor solar. Então, como escolher o protetor ideal?


A escolha do protetor solar menos nocivo!


Você já viu que os protetores contam com muitas substâncias nocivas à saúde humana, porém é possível evitar os produtos cancerígenos pelas alternativas mais seguras.


Confira as dicas de como escolher o protetor solar ideal:


Dica 1- Use um protetor solar que lhe proteja contra UVA e UVB, mas os raios mais perigosos, em termos de causar danos à pele e câncer, são os raios UVA.


Dica 2 – Leia o rótulo e evite produtos que contenham oxybenzeno, vit. A ou derivados (retinol e palmitato de retinila), metoxicinamato de octila, Benzofenona-3 (oxibenzona), Benzofenona-4, 4-metilbenzilideno cânfora, 3-benzilideno cânfora e Octocrileno.


Dica 3 - Não se deixe enganar por protetores com alto FPS. Eles dão a você a falsa sensação de que está altamente protegido e acaba o encorajando a ficar mais tempo exposto ao sol. Na verdade a diferença de proteção acima do FPS15 não chega a ser tão significante!


Dica 4 - Evite os protetores em spray. Eles liberam partículas tóxicas no ar, tornando fácil de serem inaladas e acabam também agredindo o meio ambiente.


Você verá que não será fácil encontrar um protetor solar com todas essas características, por isso, procure equilibrar tudo o que foi dito: exposição moderada, para uma exposição mais longe utilize roupas (barreira física) e protetor apenas onde ficar desprotegido.


Dra. Flavia Figueredo – médica CRM/RO N. 2.401

33 visualizações

(69) 3422-0775

©2019 by Dra Flavia Figueredo