• Dra Flavia Figueredo

GORDURA NO FÍGADO





Você é daquelas pessoas que pensa assim: “não tenho nada, SÓ GORDURA no fígado”? Cuidado, pois você pode estar prestes a desenvolver esteatose hepática.
A esteatose hepática é um acúmulo excessivo de gordura, frequentemente acompanhado de um nível elevado de enzimas no fígado, que ocorre mesmo sem o consumo significativo de álcool. Embora seja normal ter alguma gordura no fígado, acúmulos superiores a 5 ou 10 por cento do peso do órgão podem ser problemáticos.
O consumo de álcool pode causar acúmulo de gordura no fígado, mas, no caso da esteatose hepática, isso ocorre em pessoas obesas ou em sobrepeso, ou mesmo as que têm colesterol alto, triglicerídeos elevados, mesmo se elas consomem pouca ou nenhuma bebida alcoólica.
A esteatose hepática é frequentemente assintomática, embora possa causar fadiga, icterícia, inchaço nas pernas e abdômen e confusão mental, entre outros. Caso não seja tratada, a esteatose pode causar o inchaço do fígado, chamado esteopatite, podendo provocar uma falha do órgão ou desenvolvimento de câncer.
Um dos aspectos mais importantes a se lembrar ao lidar com a esteatose hepática é: alimentação balanceada e exercícios podem prevenir a doença e até mesmo revertê-la em seus estágios iniciais.
Em matéria de alimentação saudável, a primeira coisa a se eliminar é a frutose, o açúcar encontrado em produtos como xarope de milho rico em frutose, sucos de fruta (inclusive os naturais) e mel.
O consumo de bebidas adoçadas são um dos maiores fatores do desenvolvimento de esteatose hepática em crianças, cuja incidência aumenta em níveis alarmantes.
Quanto mais tempo dura a esteatose hepática, maiores suas chances de progressão para doenças mais sérias como fibrose hepática (acúmulo anormal de tecido fibroso no fígado). cirrose (acúmulo de tecido cicatricial) e esteatite hepática. Por isso, é muito preocupante que crianças estejam desenvolvendo essa doença tão cedo.
A frutose é, de várias formas, muito similar ao álcool nos danos que pode causar ao corpo e ao fígado. Ao contrário da glicose, que pode ser encontrada em praticamente todas as células do corpo, a frutose só pode ser metabolizada pelo fígado, pois é transportada diretamente para ele.
Toda a frutose é transportada para o fígado. Se você consome uma dieta ocidental, provavelmente ingere grandes quantidades de frutose, o que pode danificar seu fígado da mesma forma que o álcool e as toxinas. Na verdade, a frutose é praticamente idêntica ao álcool no que se refere ao estrago metabólico que ambos causam.
Exercícios Também são Importantes no Tratamento da Esteatose Hepática
O padrão de tratamento da esteatose hepática envolve mudanças na dieta para a promoção da perda de peso, o que é importante, mas pesquisas mostram que os exercícios são excepcionalmente importantes, independentemente da necessidade da perda de peso.
Na verdade, fazer exercícios por mais de 150 minutos por semana, durante três meses, ou aumentar o nível de condicionamento físico, foi o suficiente para os pacientes começarem a se recuperar da esteatose hepática.
A primeira intervenção de um médico na vida de um paciente não precisa ser exatamente no momento da doença mas antes que ela se instale ou piore. Para isso, o paciente precisa entender que médico não é apenas para quando se tem o diagnóstico de uma doença ou para pedir exames “ anuais”, médico também é para cuidar da sua saúde.
Dra Flavia Figueredo – Médica CRM/RO 2.401
Postagem retirada e adptada do site do Dr. Mercola
355 visualizações

(69) 3422-0775

©2019 by Dra Flavia Figueredo